Estação Ecológica Juréia-Itatins

A reserva foi instituída em 1986 após um longo processo de mobilização da opinião pública em favor de sua preservação.

Por três décadas foi objeto de instrumentos legais que atendiam aos mais variados interesses mas nem sempre aos de proteção ambiental.

O Decreto Estadual número 31.650 de 8 de abril de 1958 instituiu a Reserva Estadual dos Itatins numa área de 12.058 hectares de terras declaradas devolutas na vertente atlântica da área montanhosa da Serra do Itatins permitindo a preservação da Mata Atlântica nessa área.

Em muitas áreas próximas no litoral Sul de São Paulo boa parte dessa vegetação original foi destruída pois não estavam em locais protegidos.

A região da Serra da Juréia é um dos pontos senão o ponto mais preservado do litoral paulista.

Devido ao alto grau de preservação em que se encontra esta região possui 2/3 dos últimos 5% de cobertura vegetal primitiva que ainda resta no Estado de São Paulo concentrando quase 40% de vegetação primitiva da área de todas as unidades de conservação do Estado.

A reserva esta situada entre os municípios de Iguape, Miracatu, Itariri e Peruíbe.

A Estação Ecológica de Juréia-Itatins (EEJI) é uma UC de proteção integral que tem como objetivos principais a preservação da natureza e realização de pesquisas científicas.

A temperatura média anual varia de 19,6 a 21,4 °C e a pluviosidade média anual é registrada em 2.277,8 mm.

Vegetação predominante é a Floresta Ombrófila Densa Submontana e Montana com clima subtropical úmido, sem estação seca definida.